sábado, 17 de agosto de 2013

FLORES DO PERDÃO...

Que a feiúra da indelicadeza dos outros possam me impelir a me fazer belo com a bondade.


Possam os modos grosseiros dos meus companheiros lembrar-me de usar palavras doces, sempre.


Se pedras de mentes pecadoras forem arremessadas contra mim, permita-me enviar de volta apenas mísseis de boa-vontade.




Assim como o jasmim deixa cair suas flores sobre as mãos que portam machados e que golpeiam suas raízes, assim, sobre todos aqueles que agem hostilmente contra mim, possa eu derramar flores de perdão.


Paramahansa Yogananda, "Whispers From Eternity".