quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

CORTAR O MAL PELA RAIZ:


"CORTAR O MAL PELA RAIZ" / Texto de Fabio Figueiredo

Preciso urgentemente comprar uma tesoura nova. A minha está velha, enferrujada e sem fio.
Necessito muito cortar algumas coisinhas da minha vida, arrematar algumas outras, aparar certas arestas. Por que é tão difícil tomar uma atitude e simplesmente banir de nossa existência certas questões que nos fazem mal? Meu Deus preciso renovar minha forma de pensar e agir. Vou sim adquirir uma super tesoura e sair tirando pessoas, situações, fatos, problemas, dramas, conflitos da minha história. Quantas vezes me pego "chupando" os problemas dos outros e pior, tomando frente de uma questão que não é minha. Isso é simplesmente decretar falência, eu posso ajudar de uma maneira mais paralela, sem ter obrigação emocional de me envolver tanto. 
Absorver a dor dos outros não é solução é naufrágio. Tesoura nisso! Ajudar alguém é estar ao lado, fácil assim. 
Vou eliminar do meu convívio as "pessoas problemas",aquelas que só sabem reclamar, trazer cargas negativas, o azedume da mente. Eu não tenho obrigação de estar ao lado delas, até posso em alguns momentos dar uns toques,mas não permitirei abrir a porta da minha alma para que se instalem. Geralmente se mudam de mala e cuia , invadem espaços, se albergam na boa vontade alheia. Ah, mas e aquelas que não há como não conviver? Tipo uma mãe dominadora e mandona, um filho problema, um marido ou esposa sem noção. Ok, estas relações que a vida nos trouxe como "presente de grego" realmente a postura deve ser diferente. Não há muitas vezes como extirpar, mas há como anular. Tome uma atitude de marcar território, informe por ações onde está o limite e deixe bem claro essa marcação para que o outro saiba até onde pode ir. Ultrapassaram? Mostre suas defesas, sem violências, mas com diálogo, usando palavras que possam definir o posicionamento. 
Cortarei do meu dia a dia a tristeza, a melancolia, o marasmo, a queixa, a lamúria, a preguiça, o cansaço, a incompetência. Vou vasculhar onde está a criatividade em mim. Fuçar meus espaços e decorar minha casa interior. Arejar e abrir janelas, pintar com cores cítricas, iluminar e deixar a "vida viver".
Irei aparar as culpas, as prisões, os desculpismos, o comodismo, o medo, as ansiedades. Inúmeras algemas que me prendem a mim mesmo. Auto sabotagem, sentença voluntária, flagelo consciente. Chega, tesourada nisso tudo!
Picotarei a baixo autoestima, a carência, a necessidade de ser aceita , a escravidão ao julgamento do outro. Epa, epa, epa vou me olhar, me amar, me sentir preenchido, não preciso ser aceito, mas preciso me aceitar. Ocupar meus espaços vazios, encher de amor próprio, investir em mim, confiar em mim, viver em mim. 
Tesourar a vida é retirar os vínculos perniciosos, agressivos, os obstáculos, as cangalhas acumuladas, os pesos emocionais, as barreiras da paixão, os bloqueios mentais. A VIDA É UMA GRANDE FOLHA DE PAPEL E VOU RECORTAR LETRAS E FORMAR A PALAVRA: F E L I C I D A D E. Só depende de mim!